« Voltar

Ministros reforçam colaboração científica entre Brasil e Portugal

Nanotecnologia Popularização da C,T&I e Melhoria do Ensino das Ciências

Ministros reforçam colaboração científica entre Brasil e Portugal

Carta de intenções assinada durante a visita oficial objetiva alcançar todos os países de língua portuguesa.

Por Ascom do MCTI

Publicação: 11/09/2015 | 16:23

Última modificação: 15/09/2015 | 18:16

O documento assinado por Aldo Rebelo e Nuno Crato trata da pesquisa em nanotecnologia e da formação de recursos humanos.

Crédito: Ascom/MCTI

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, assinou, nesta sexta-feira (11), com o ministro da Educação e Ciência de Portugal, Nuno Crato, uma carta de intenções entre os governos do Brasil, de Portugal e da Espanha que permitirá o desenvolvimento de pesquisas na área de nanotecnologia e a formação de recursos humanos. A cerimônia de assinatura ocorreu no Ministério da Educação e Ciência, no Palácio das Laranjeiras, em Lisboa, com a participação da secretária de Estado da Ciência, Leonor Parreira.

Durante a reunião, também foram discutidos novos mecanismos para ampliar parcerias na área da pós-graduação, sobretudo com a Universidade de Coimbra. E a construção de um programa de capacitação para professores de Matemática no âmbito da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

"Queremos que a cooperação entre Brasil e Portugal não apenas reforce e amplie os laços entre os dois países, mas que tenha também o objetivo de alcançar os países de língua portuguesa, com programas de capacitação para docentes", afirmou Aldo.

O objetivo da carta de intenções assinada hoje é fortalecer a cooperação em pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica entre o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, sediado em Braga, e os institutos de pesquisa do MCTI que integram o Sistema Nacional de Laboratórios em Nanotecnologia (SisNano). As áreas prioritárias para colaboração são as de nanodispositivos, nanoeletrônica e nanopartículas aplicados à saúde, meio ambiente, água e alimentos.

"A nossa colaboração com o Brasil se estende a várias áreas do conhecimento e tem todo o potencial para se desenvolver muito mais. Nós vemos essa parceria como um compromisso para o crescimento e desenvolvimento para os nossos dois povos", disse o ministro Nuno Crato.

O ministro Aldo Rebelo visitou, na quarta-feira, o Laboratório Ibérico de Nanotecnologia, que dispõe de infraestrutura própria para prototipagem e escalonamento. O acordo de cooperação permitirá ampliar a parceria já existente para que os pesquisadores dos institutos brasileiros desenvolvam conjuntamente com os pesquisadores do laboratório projetos na área de nanotecnologia.

Pelo documento, os projetos apoiados deverão estimular o envolvimento de empresas e instituições de ciência, tecnologia e inovação brasileiras, buscando o desenvolvimento de nanotecnologias e produtos nanotecnológicos. Projetos voltados para a investigação de novos conceitos e tecnologias disruptivas serão também contemplados. 

Atualmente, o Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), instituto do MCTI, desenvolve com o laboratório vários projetos na área da nanotecnologia. Em função dessa parceria, o CBPF foi designado executor da carta de intenções assinada hoje. 

O embaixador do Brasil em Portugal, Mário Vilalva, que participou da reunião no Palácio das Laranjeiras, disse que a cooperação entre o Brasil e Portugal na área da ciência, tecnologia e inovação abre "uma nova fronteira de relacionamento entre os dois países", além das parcerias no campo da política e da economia.

CPLP

A criação de um programa de mestrado profissional para professores de Matemática no âmbito dos países da CPLP foi outro tema discutido durante a reunião entre os ministros Aldo e Nuno Crato. O programa teria como modelo o ciclo de cursos de formação oferecido pela Universidade Federal do Ceará a professores de Matemática de Cabo Verde e o Mestrado profissional em rede nacional oferecido pela Sociedade Brasileira de Matemática. A intenção é desenvolver oficinas de formação continuada, por meio da internet e de treinamento in loco

A reunião no Palácio das Laranjeiras contou com a participação do coordenador de atividades científicas do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), Marcelo Viana, e do presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática, Fernando Pestana da Costa. Um grupo de trabalho será criado para dar prosseguimento à cooperação.
"Vamos utilizar as melhores instituições de Portugal e do Brasil para construir uma experiência inovadora na formação de professores de Matemática", afirmou Marcelo.

Universidade de Coimbra

Na quinta-feira, o ministro Aldo Rebelo fez uma visita à Universidade de Coimbra, onde foi recebido pelo reitor da instituição, João Gabriel Silva. Acompanhado pelo secretário de Estado de Ensino Superior de Portugal, José Ferreira Gomes, Rebelo conheceu as instalações da universidade e discutiu mecanismos para ampliar a cooperação entre os dois países, especialmente na área de pós-graduação, envolvendo cursos de mestrado e doutorado.

"A nossa cooperação com a Universidade de Coimbra é das mais antigas. Temos hoje em Coimbra a maior concentração de estudantes brasileiros fora do Brasil", disse Aldo.

Uma das parcerias com a UC pode permitir o desenvolvimento conjunto de pesquisas históricas sobre os estudos científicos de José Bonifácio de Andrada e Silva, com o objetivo de reunir o conjunto de sua obra política, social e científica.  "A coleção das obras completas de José Bonifácio, não apenas de suas obras políticas, sociais, mas também as obras científicas, só é possível com a participação importante de Portugal e da Universidade de Coimbra", disse o ministro.

Considerado o Patriarca da Independência do Brasil, Bonifácio formou-se em Direito, Filosofia e, também, construiu carreira como cientista da área de mineralogia e história natural. Foi secretário da Academia de Ciências de Lisboa. A intenção do ministro Aldo Rebelo é trabalhar na publicação de 60 volumes com a produção de José Bonifácio. Para isso, pretende reunir pesquisadores para recolher obras de Bonifácio em Portugal e nos países por onde passou, como Alemanha, França e Suécia.

Na Universidade de Coimbra, Bonifácio foi aluno, professor, pesquisador e catedrático de mineralogia. Hoje, a universidade concentra a maior parte de suas obras científicas. Segundo o ministro, a cooperação com Coimbra é fundamental para ampliar o trabalho de preservação da memória histórica dos dois países, de valorização da figura de Bonifácio e de perpetuação dos laços com Portugal.

Em Coimbra, Rebelo visitou a Biblioteca Joanina e o arquivo da Universidade, onde teve acesso a vários documentos relativos aos trabalhos de José Bonifácio realizados na instituição. Entre eles, uma carta escrita pelo próprio ao então reitor da Universidade, na qual elabora a definição dos princípios fundamentais dos estudos das ciências nas faculdades de Filosofia e Matemática. E também a carta régia que confere a Bonifácio, gratuitamente, o grau de doutor. O ministro conheceu ainda o Museu de Ciência da Universidade, onde José Bonifácio realizou pesquisas e ministrou aulas.

Fonte: MCTI