« Voltar

Embrapii anuncia pacote de R$ 100 milhões para estimular a inovação industrial no Brasil

Popularização da C,T&I e Melhoria do Ensino das Ciências

Embrapii anuncia pacote de R$ 100 milhões para estimular a inovação industrial no Brasil

Anúncio foi feito durante reunião da MEI, da qual participaram o presidente Michel Temer e o ministro Gilberto Kassab. Acordo com o CNPq prevê a participação de pesquisadores em projetos da Embrapii por meio de bolsas.
por Ascom do MCTIC

Publicação: 17/03/2017 | 15:04

Última modificação: 24/03/2017 | 15:29

O ministro Gilberto Kassab destacou o papel da inovação para alavancar o desenvolvimento do país.

Crédito: Ascom/MCTIC

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) anunciou nesta sexta-feira (17), durante reunião do Comitê de Líderes da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), em São Paulo, duas chamadas públicas e duas parcerias que devem injetar mais de R$ 100 milhões em estímulos à inovação. Um dos acordos envolve o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a fim de atrair o conhecimento de pesquisadores brasileiros a projetos da Embrapii, por meio de bolsas.

O presidente da República, Michel Temer, e o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, participaram da reunião.

"Inovar tecnologicamente é também desenvolver a indústria e o país. A inovação é, na verdade, uma espécie de encontro da arte com a ciência. A pessoa que inova está criando, está fazendo arte e, portanto, ciência", disse o presidente.

Já o ministro Gilberto Kassab citou os avanços na área econômica e defendeu o planejamento de ações voltadas para o desenvolvimento do país. "Essa reunião representa o que há de melhor no Brasil empreendedor. São diversas instituições trabalhando cada vez mais integradas. Aqui, a palavra é eficiência. Aqui, a palavra é inovação. Aqui, a palavra é planejamento. Aqui se discute o futuro do Brasil e não apenas o presente. Isso estava faltando em nosso país", afirmou.

Inovação

Para o diretor-presidente da Embrapii, Jorge Guimarães, as medidas anunciadas durante a reunião da MEI podem fortalecer a inovação nacional e os laços entre os setores produtivo e acadêmico. "As chamadas públicas vão credenciar novas unidades e polos, que estarão aptos a desenvolver mais projetos junto às empresas", destacou. "Também queremos aproveitar a capacidade intelectual de nossos pesquisadores e estudantes, que têm muito a contribuir no fomento à inovação."

O acordo com o CNPq garante a renovação do programa Bolsa Jovens Talentos, junto à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e ao Instituto Euvaldo Lodi (IEL). A iniciativa tem o objetivo de estimular a inserção no mercado de trabalho de profissionais com experiência em desenvolvimento de projetos tecnológicos e de inovação. Ao todo, serão oferecidas 200 bolsas – 100 da Capes e 100 do CNPq – em valores de R$ 4 mil a R$ 7 mil. Os pesquisadores selecionados devem atuar nas unidades e polos Embrapii, colocando sua expertise à disposição das empresas.

Outra parceria da Embrapii foi firmada com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), no valor de R$ 20 milhões, para estimular pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) em microempreendimentos individuais e micro e pequenas empresas. Recursos compartilhados devem assegurar o atendimento aos pequenos negócios. Do valor total de cada projeto apresentado, até um terço será subsidiado pela Embrapii e o restante ficará sob encargo da unidade e da empresa, com subsídio do Sebrae.

Estima-se que o acordo contemple 200 micro e pequenas empresas. O convênio define duas linhas de financiamento: a primeira, voltada para desenvolvimento tecnológico, destina-se apenas a micro e pequenas empresas; e a segunda é de encadeamento tecnológico e pode incluir companhias de qualquer porte. O Sebrae só aporta recursos à linha 1.

Expansão

A primeira chamada pública da Embrapii – 01/2017 – credenciará até três institutos federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) como polos de inovação. Para se candidatar, os IFs devem demonstrar experiência no desenvolvimento de P,D&I para empresas em qualquer área. O financiamento é de até R$ 3 milhões por unidade. Hoje, há cinco polos em atividade, aptos a unir o setor produtivo ao acadêmico.

Já a segunda chamada – 02/2017 – é inédita e destina-se exclusivamente aos Institutos Senai de Inovação (ISIs). Os candidatos precisam demonstrar experiência no desenvolvimento de P,D&I para o setor empresarial por meio de uma lista de projetos que totalize R$ 5 milhões no período de 2014 a 2016. O financiamento será de até R$ 15 milhões por ISI. São até cinco vagas.

A Embrapii já possui dois ISIs credenciados como unidades convencionais: o Campus Integrado de Manufatura e Tecnologia do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Cimatec), de Salvador (BA), e o Instituto Senai de Inovação em Engenharia de Polímeros, de São Leopoldo (RS).

Organização social qualificada pelo governo federal em 2013, a Embrapii mantém contrato de gestão com o MCTIC – acordo do qual o MEC participa como instituição interveniente. As pastas repartem igualmente a responsabilidade pelo seu financiamento. A MEI contribuiu na discussão do modelo. O orçamento total da instituição é de R$ 1,5 bilhão até 2018. Atualmente, existem 28 unidades em funcionamento, além dos cinco IFs.

Fonte: MCTIC