INT e Petrobras vão desenvolver tecnologia para aumentar a produtividade do pré-sal

Energia Popularização da C,T&I e Melhoria do Ensino das Ciências

INT e Petrobras vão desenvolver tecnologia para aumentar a produtividade do pré-sal

No valor de R$ 5,6 milhões, projeto será desenvolvido pela Unidade Embrapii INT e pode significar a primeira de uma série de soluções para a exploração de petróleo e gás na camada pré-sal. Acordo prevê o desenvolvimento de metodologias de corrosão com base em técnicas de estimulação ácida, que aumenta a permeabilidade do fundo oceânico com o uso de substâncias ácida ao redor do poço.

Por Ascom do MCTIC

Publicação: 19/04/2017 | 18:06

Última modificação: 24/04/2017 | 10:18

Crédito: Petrobras

O Instituto Nacional de Tecnologia (INT) – unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) – assinou contrato com a Petrobras para o desenvolvimento de metodologias de corrosão para operações que aumentem a produtividade em poços do pré-sal, com base em técnicas de estimulação ácida.

Por este método, a capacidade de extração do óleo é maior devido ao uso de uma substância ácida em áreas próximas ao poço aberto, que aumenta a permeabilidade do fundo oceânico. Desta maneira, o petróleo e o gás são retirados da rocha com maior facilidade e são canalizados para as plataformas de exploração. No valor de R$ 5,6 milhões, o projeto será desenvolvido pela Unidade Embrapii INT.

Deste montante, R$ 2,9 milhões serão investidos pela Petrobras. A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) – organização social supervisionada pelo MCTIC – vai aportar R$ 1,9 milhão, enquanto o INT dará R$ 800 mil como contrapartida em infraestrutura e pesquisa.

Este é o quarto projeto que será desenvolvido pela Unidade Embrapii INT. Segundo o coordenador de Negócios do Instituto, Vicente Landim, este acordo com a Petrobras pode significar o início de uma série de projetos de desenvolvimento de soluções para a exploração de petróleo e gás na camada pré-sal no futuro.

"A Petrobras está retomando a execução de projetos de uma forma muito boa. Essa parceria faz parte do nosso plano de ação no âmbito da Embrapii, e esperamos que seja o primeiro de muitos com a Petrobras. Ele traz um valor significativo para o INT, pois é um reconhecimento às nossas competências", afirmou Landim.

O trabalho será desenvolvido no Laboratório de Ensaio de H2S, CO2 e Corrosividade (LAH2S) do INT, que faz ensaios com altas pressões e temperaturas, sem oxigênio, simulando as condições extremas dos poços de exploração do pré-sal. O laboratório atua em projetos de avaliação da integridade de materiais e revestimentos, bem como da eficácia de produtos químicos que minimizam a corrosão na presença sulfeto de hidrogênio (H2S) e gás carbônico (CO2).

Unidade Embrapii

A Unidade Embrapii INT atua na área de tecnologia química industrial, incluindo o desenvolvimento de processos químicos e físico-químicos, além do desenvolvimento de tecnologia química orgânica e inorgânica.

Fonte: MCTIC